Wednesday, January 02, 2013

Finito

A vida é uma caixinha de surpresas. No desespero, exorcizamos nossos demônios da maneira mais pútrida que conhecemos, apenas para ver se encontramos uma paz momentânea, ainda que nos custe alto. Procuramos um caminho para lidar com as novidades, e sempre esbarramos na possibilidade da inércia. Somos um amontoado de jogos imorais, e alguns revelam isso de maneira sublime - mas não se engane, há sempre a voz do desgosto para visitar os pensamentos incautos.

Talvez a certeza da finitude da vida faça com que muitos queiram se afastar, ou só alguns. Talvez seja somente uma desculpa para mostrarem que somente desejam o próprio bem-estar, construindo um esquema de destruição para se mantém em seu objetivo. Talvez seja um infortúnio. Quem se importa, no fim? Não há lamentações suficientes depois de tomar as ações, as marcas já foram feitas. Arque com o que plantou.

Se considera suficiente tudo que fez, parabéns. Mas pense bem antes de tomar atitudes drásticas ou pode ser tarde demais.

Sua vida, seu jogo. Sua vez.

1 comment:

Luciana Costa said...

Nossa,perfeito pra mim nesse momento.
Disse exatamente o que penso!