Thursday, January 24, 2008

Que mundo perdido que nada! Fodido mesmo!

Estava aqui eu pensando sobre conversas que tive com amigas, primas, colegas... E também conversas com amigos, primos, colegas... Engraçado essa coisa de "moderno". É como se as pessoas se aproveitassem da tarja "nova era" e utilizassem-na para justificar sua falta de carater. E não, não é discurso reacionário. Reacionário é o caralho!

O número de pessoas que vejo traindo porque "não transamos ontem", "ele/ela me dá insegurança", "acho que ele/ela quer transar com aquela outra pessoa", "não diz que me adora todos os dias", etc, é incrível! Hipocrisia da merda essa! E quando é traído, o que acontece? Esperneia, xinga, chora, bate, diz que a/o outra/outro é uma porcaria, e tudo mais. Mas na hora de trair... ah, nem se preocupa! Como diria Martinha, "relaxa e goza!"

Não é mais fácil manter um relacionamento aberto, ou mesmo poligâmico? Não é mais inteligente (e sincero) deixar as coisas às claras, do que fazer essa cagada? Não é melhor as pessoas decidirem o que querem antes de sair por aí fazendo burrice e cagando rua afora? Daqui a pouco a prefeitura vai ter de sair distribuindo fraldas pra evitar a diarréia nas calçadas e motéis, é? Tá foda!

Não, não sou uma pessoa "correta", defensora da "moral e bons costumes". Bons costumes de cu é rola! O que eu defendo é que haja um pouco mais de sinceridade e humanização nessa porra que insistimos em chamar de "sociedade". Engraçado é que "pervertidos" são os que curtem BDSM, scat, voyerismo/exibicionimos, bukkake, gang bang... Mesmo que estes "pervertidos" respeitem seus parceiros, sejam sinceros, se cuidem, transem com camisinha... Ainda assim eles são pervertidos. Afinal, quem usa de qualquer subterfúgio para traição e usa e abusa de hipocrisia é normal e moralmente aceitável!

No momento, só tenho uma preocupação: será que terei o desgosto de ver meu filho fazendo o mesmo? Espero muito que não...

6 comments:

Daniele said...

Nossa... Esse post me lembra de quantas vezes eu já perdoei alguém por amor. Ah, que nostálgico lembrar... Enfim, eu era sim do vibrador. Agora tô aqui..

:)

Liz / Falando de tudo! said...

Salut!
Interessante teu cantinho, espero conhecê-lo melhor com o passar do tempo.
Eu fico navegando por alguns blogs que nao conheço, e se gosto de algum, deixo um recadinho, e quem sabe a gente não fique trocando comentarios, né?

Natália said...

Oii...
Realmente a hipocrisia exite. Isso por quê? Porque o ser humano é individualista... Não há uma grande preocupação com a imagem do outro...(o cornudo, Cornélio, a cornuda...) E outra: a adolescencia (fase que eu julgo estar dos 12 aos 30 anos , haha) é aquela fase do nada-com-nada. "Ah, nem vou casar com ela(e) mesmo, quero curtir meu dia de hoje. Carpe Diem! Se ela(e) está me dando mole, trairei porque vivo a vida, não apenas existo..."

ENfim...esse tipo deturpado de pensamento...a deturpação do CARPE DIEM transformou os casais...
Relacionamento aberto é a verdade pra todo mundo ver. E a verdade dói. A poligamia nunca é bem aceita e, no fim, quando a gente se dá conta, estamos no filme "Closer" num quadrado amoroso. Melhor, num círculo amoroso. E vicioso.

Gostei do seu blog e venho por meio desta (haha) fazer o escambo.
Eu linko, tu linkas, ele linka.
Beijão!

Raysla Camelo said...

Comentado.
:)

Mah Caldeira said...

Wow, falou tudo!

lisiê. said...

eis o admirável mundo novo!

tá no ar o meu novo blog :)