Tuesday, February 13, 2007

Carpe diem, carpe noctrem...

Sintam a valsa, o pulsar dos dias! Sintam a força motriz das estações, observem a lua e as formas distorcidas e desconexas do céu. Olhem para as mãos calejadas, caminhem pelas pedras da rua, respirem a poeira do vale... E finalmente contemplem as dunas de outono.

Vamos, esqueça seus devaneios, e siga adiante! Não importa o tempo ou nostalgia, não importam mágoas e desilusões, somos nós quem fazemos o agora! Vamos, esqueça o clima! Não há morada se você não quer viver além de muros e palácios de cristal!

Há mais em nós mesmos do que acreditamos. Nos enganamos ao pensar que não há nada além do outro lado do muro, do outro lado do vale, do outro lado da montanha, do outro lado... Temos um mundo de encontros e desencontros, que construímos a cada dia. Existem mil maneiras de se apreciar um por do sol...

É preciso gana para conquistar mundos. É preciso coragem para conseguir enxergar além do próprio nariz. É preciso amor para conseguir olhar dentro de si. É preciso, a cada dia, se re-descobrir...


Quem dera fosse tudo fácil... mas ainda bem que tudo vale a pena...

5 comments:

Raysla Camelo said...

Quem dera fosse tudo fácil...

E sim, tudo vale a pena, nem que seja para contar mais uma experiência ruim.

Ai, eu tô pra baixo né?!?!
Que coisa!
rs

Miaka said...

Esperança é o que nos faz achar que há sempre algo melhor no outro lado que ainda não conhecemos. No fim, vemos que nada mudou. A mudança só se faz se for de dentro para fora.. de nada adianta mudar o tempo ou a paisagem.

Mah said...

Adorei o post. =)

Ótimo feriadaaaaaao pra você!

Raquel Camargo said...

esquecer devaneios?
para quê?
Utopia é vitamina,
devaneios são proteínas!

lisiê, a drama. said...

e se entra na pira de "a grama do vizinho é sempre mais verde"?
a paisagem pouco importa se a mudança depender de você. né?